O estereótipo do ”maconheiro preguiçoso” não têm fundamento científico.

Uma nova pesquisa publicada pela University of Cambridge, no Reino Unido, mostrou que “os usuários adultos e adolescentes de cannabis não têm mais probabilidade do que os não usuários de não terem motivação ou serem incapazes de aproveitar o prazer da vida”.

Segundo os pesquisadores, “não há base científica para o estereótipo frequentemente retratado na mídia”.

Sobre o estudo

Cientistas da University College London, da University of Cambridge e do Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College London examinaram se “os usuários de cannabis apresentam níveis mais altos de apatia (perda de motivação) e anedonia (perda de interesse ou prazer de recompensas) em comparação com [um grupo de usuários] controles, e se eles estavam menos dispostos a exercer esforço físico para receber uma recompensa”.

A equipe recrutou 274 usuários adolescentes e adultos de cannabis que usaram a erva pelo menos semanalmente nos últimos três meses, com uma média de quatro dias por semana, e os comparou com não usuários da mesma idade e sexo.

Os participantes preencheram questionários para medir a anedonia e seus níveis de apatia.

Os pesquisadores não encontraram uma ligação entre a frequência do uso de cannabis e apatia ou anedonia nas pessoas que usaram cannabis.

“Ficamos surpresos ao ver que havia realmente muito pouca diferença entre usuários e não usuários de cannabis quando se tratava de falta de motivação ou falta de prazer, mesmo entre aqueles que usavam cannabis todos os dias”, disse Martine Skumlien, do Departamento de Psiquiatria da University of Cambridge: “Isso é contrário ao retrato estereotipado que vemos na TV e nos filmes”.

Apesar dos resultados do estudo, os pesquisadores afirmam que são necessárias mais pesquisas que avaliem um período de tempo maior para confirmar as descobertas.

Desmistificando

Muito desse estereótipo, na realidade, vem da história da proibição da maconha, quando setores conservadores que buscavam condenar os usos da planta disseminavam estereótipos negativos em relação aos consumidores da erva.

E muitos desses estereótipos foram reforçados ao longo dos anos através de filmes e séries, por exemplo.

É importante observar também que a cannabis pode, sim, causar sensação de relaxamento e sonolência, mas isso depende muito do tipo de erva e do perfil de canabinóides e terpenóides.

Já se sabe, hoje em dia, que muitas strains proporcionam foco, energia e aumentam a produtividade. Portanto, é errado generalizar que todo maconheiro é preguiçoso. E a ciência já mostrou que, de fato, isso não tem fundamento.

Além disso, na prática também é possível ver que muitos usuários de maconha, apontados como improdutivos, são muito bem-sucedidos.

É fundamental quebrarmos estereótipos relacionados ao consumo da erva, só assim avançaremos para a normalização e ampla legalização da cannabis.

Fonte: Benzinga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.