Mudança de hábito entre jovens adultos têm levado ao aumento do consumo da erva – e também dos alucinógenos!

Por mais um ano consecutivo, o consumo global de maconha bateu recordes. Segundo dados da ONU, a cannabis é a ”droga” mais usada mundialmente.

Dados de 2020 mostram que em torno de 209 milhões de pessoas são consumidoras da planta (de forma recreativa).

Não é à toa que, recentemente, pesquisas têm mostrado que as novas gerações têm preferido cannabis do que o álcool.

Em termos de substâncias recreativas, a maconha também tem sido preferida em relação ao uso do tabaco e bateu recorde de consumo, junto aos alucinógenos, entre jovens adultos norte-americanos, conforme apontam pesquisas recentes.

Recorde de uso de maconha e alucinógenos

O uso de cannabis e alucinógenos entre jovens adultos nos Estados Unidos atingiu um “máximo histórico”, de acordo com uma pesquisa realizada pelos Institutos Nacionais de Saúde (NIH – National Institutes of Health) do país.

Segundo os dados da pesquisa, o uso dessas substâncias entre pessoas de 19 a 30 anos de idade aumentou significativamente, atingindo os níveis mais altos desde 1988 – quando os dados começaram a ser monitorados.

Os alucinógenos incluem LSD, MDMA, mescalina, peiote, “cogumelos” ou psilocibina e PCP. O único alucinógeno medido que diminuiu significativamente no uso foi o MDMA (também chamado de ecstasy ou Molly), mostrando diminuições estatisticamente significativas em um ano e nos últimos cinco anos – de 5% em 2016 e 2020 para 3% em 2021”, mostra o relatório.

“À medida que o cenário das drogas muda ao longo do tempo, esses dados fornecem uma janela para as substâncias e os padrões de uso preferidos pelos jovens adultos”, disse a diretora do Instituto Nacional de Abuso de Drogas, Nora Volkow, em comunicado que acompanhou o estudo.

Os dados fazem parte do estudo “Monitoring the Future”, patrocinado pelo NIH, que tem sido conduzido por pesquisadores da Universidade de Michigan desde 1975.

O estudo ainda mostrou que, em 2021, também houve aumento no consumo de álcool entre as faixas etárias consideradas.

No entanto, os dados mostram “diminuições significativas no consumo de cigarros […] e uso não médico de medicamentos opioides no ano passado (pesquisado como “narcóticos além da heroína”) em comparação com 10 anos atrás”.

O uso de vapes de nicotina, por outro lado, “aumentou significativamente entre os jovens adultos em 2021, apesar de ter se estabilizado em 2020 durante a parte inicial da pandemia”.

Maconha supera consumo de tabaco

Outra pesquisa publicada em agosto mostra que, pela primeira vez, o uso de cannabis (de forma recreativa) superou o uso de tabaco nos Estados Unidos, marcando uma mudança importante no hábito de consumo entre pessoas do país.

Os dados, compilados como parte da “Pesquisa de Consumo” anual da Gallup, mostraram que apenas 11% dos americanos se declararam fumantes – a maior baixa desde que essa pesquisa teve início, na década de 1940.

Por outro lado, cerca de 16% dos americanos se identificaram como fumantes atuais de cannabis.

Além disso, de forma inédita na pesquisa anual, foi perguntado aos norte-americanos se eles são usuários de comestíveis de cannabis (edibles), com 14% relatando que são.

Os resultados refletem também a mudança de comportamento das pessoas frente às políticas de legalização, que têm crescido no país, e frente às políticas de combate ao tabagismo das últimas décadas.

“Fumar cigarros está claramente em declínio e provavelmente se tornará ainda mais raro nos próximos anos. Isso reflete tanto a conscientização pública de seus efeitos negativos quanto os esforços contínuos do governo em todos os níveis para reduzir seu uso. Fumar permanece legal em geral, mas é proibido em muitos locais públicos, escritórios, meios de transporte e em locais privados nos EUA. Cada maço de cigarros carrega mensagens de alerta draconianas sobre seus efeitos nocivos”, escreveu Frank Newport, da Gallup, em sua análise da pesquisa.

Paralelamente, uma outra pesquisa da Gallup de 2021 descobriu que 68% dos norte-americanos acreditam que a maconha deveria ser legal, mais um recorde.

A pesquisa deste ano ainda corroborou o estudo do NIH em relação ao álcool, substância recreativa que também teve aumento de consumo segundo a Gallup.

Fonte: High Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.