Os canabinóides mais abundantes e conhecidos da maconha podem ter maiores benefícios em proporções equilibradas.

Devido ao efeito entourage, os canabinóides agindo em conjunto são melhor do que separados.

Outro fator muito investigado em relação à sinergia dos compostos da maconha é como o THC e o CBD (os canabinóides mais abundantes na planta) podem apresentar maiores benefícios quando consumidos em uma proporção equilibrada.

CBD e THC: ”dupla dinâmica”

Não é novidade que o CBD pode contrabalancear os efeitos do THC, levando a sensações mais equilibradas e maiores benefícios para o bem-estar.

Um estudo recente, publicado no Journal of Clinical Psychopharmacology, em setembro de 2021, investigou melhor os efeitos desses dois canabinóides quando em conjunto.

O objetivo era descobrir se o CBD tinha efeitos anti-intoxicantes (ou seja, anti-psicoativos). O Canabidiol é frequentemente referido como não psicoativo, mas na verdade há quem o considere psicoativo porque esse canabinóide pode afetar o humor e aliviar a ansiedade. No entanto, ele não é psicoativo como a maioria das pessoas pensa, no sentido de que não causa intoxicação, nem deixa [email protected]

O estudo descobriu que consumir THC era menos intoxicante (ou seja, apresentava menores efeitos psicoativos) quando combinado com CBD na proporção de 2:1, sugerindo que o CBD limita alguns dos efeitos do THC.

Essa descoberta é especialmente relevante para pacientes que usam cannabis em tratamentos de saúde, precisam se medicar durante o dia e não querem ficar sentindo a sensação de ”estar [email protected]”.

Assim, essa atuação equilibrada do CBD com o THC possibilita que os dois canabinóides sejam consumidos (com menores efeitos psicoativos), levando a benefícios terapêuticos superiores.

O estudo

Cada participante recebeu CBD, THC, THC+CBD ou placebo e foram avaliados a cada 10 minutos quanto aos efeitos psicoativos da cannabis.

A dose consumida durante as sessões foi a seguinte: CBD 130 mg, THC 65 mg, CBD 130 mg + THC 65 mg combinados (proporção 2:1 CBD:THC) e um placebo de cânhamo <0,05 mg de canabinóides totais.

A principal conclusão é que o CBD tem o potencial de diminuir os efeitos intoxicantes/psicoativos do THC, bem como sintomas adversos que podem ser induzidos pelo THC, como a paranoia.

O estudo também sugere que o CBD pode ter um papel protetor, ao reduzir alguns dos efeitos psicoativos do THC, o canabidiol potencialmente reduz o risco para aqueles predispostos à esquizofrenia, que acaba sendo uma contraindicação à terapia com THC.

Uma proporção mais alta de CBD:THC pode ser uma escolha desejável para quem deseja aproveitar os efeitos terapêuticos da maconha, enquanto minimiza outros sintomas negativos que podem ser causados ​​por doses mais altas de THC.

Para usuários de cannabis de longo prazo, sejam recreativos ou medicinais, uma proporção mais alta de CBD:THC pode ajudar a reduzir a possibilidade de desenvolver uso problemático da erva.

Este estudo, juntamente com pesquisas anteriores significativas, sugere que consumir CBD junto com THC intermedia os efeitos psicoativos da cannabis e pode influenciar outros aspectos da ”chapação” do THC.

A fim de individualizar e otimizar a terapia, médicos, pacientes médicos e usuários adultos devem receber essas informações e se sentir capacitados para experimentar o uso de diferentes quimiotipos de cannabis para facilitar a resposta terapêutica mais eficaz e a experiência mais gratificante.

Em breve, a Clínica Who is Happy estará disponível para ajudar pacientes a terem acesso legal a tratamentos com cannabis no Brasil.

Fonte: The Cannigma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.