Estresse e ansiedade podem ter um grande impacto na qualidade de vida. Mas a cannabis pode ajudar.

Atualmente, existem muitas formas de lidar com o estresse e com a ansiedade: desde terapia e medicamentos prescritos, até tomar uma cerveja no fim do dia e fumar um baseado.

Em relação a esse último mecanismo, diversas pesquisas vêm investigando como fumar maconha pode contribuir de forma positiva no combate ao estresse, à ansiedade e até mesmo nos sintomas da depressão.

Cannabis para estresse, ansiedade e depressão

Um estudo da Washington State University examinou como a cannabis combate o estresse, a ansiedade e a depressão, observando diferentes cepas e quantidades de cannabis sendo inaladas por pacientes em casa.

O trabalho, publicado no Journal of Affective Disorders, sugere que consumir a cannabis vaporizada (como no baseado, pipe ou bong) pode reduzir significativamente os níveis de curto prazo de depressão, ansiedade e estresse. Mas, no caso da depressão, pode piorar sentimentos gerais atrelados a essa condição no longo prazo.

Este estudo é uma das primeiras tentativas de cientistas dos Estados Unidos de avaliar como a cannabis com concentrações variadas de THC e CBD afeta a sensação de bem-estar dos usuários, quando inalada fora de um laboratório.

Carrie Cuttler, professora de psicologia na Washington State University (WSU) e principal autora do estudo, disse: “As pesquisas existentes sobre os efeitos da cannabis na depressão, ansiedade e estresse são muito raras e quase exclusivamente foram feitas com medicamentos administrados por via oral. Comprimidos de THC em um laboratório.

O que é único em nosso estudo é que analisamos a cannabis inalada por pacientes que a usavam no conforto de suas próprias casas, em oposição a um laboratório”.

A equipe descobriu que uma tragada de cannabis rica em CBD e baixa em THC era ideal para reduzir os sintomas de depressão, duas tragadas de qualquer tipo de cannabis eram suficientes para reduzir os sintomas de ansiedade, enquanto 10 ou mais tragadas de maconha rica em CBD e com alta concentração em THC produziu as maiores reduções no estresse.

Cuttler complementa: “Muitos consumidores parecem estar sob a falsa suposição de que mais THC é sempre melhor. Nosso estudo mostra que o CBD também é um ingrediente muito importante na cannabis e pode aumentar alguns dos efeitos positivos do THC.”

Resultados

De forma mais completa, o estudo ainda mostra que:

  • Pacientes sentiram uma redução significativa nos sintomas associados à depressão em 89,3% das sessões (o estudo também revelou que os sintomas de depressão foram exacerbados em um total de 3,2% das sessões, e não houve alteração em 7,5% das sessões).
  • Em 93,5% das sessões, pacientes sentiram redução dos sintomas de ansiedade (mas foram exacerbados em 2,1% das sessões, e não houve mudança nos sintomas em 4,4% das sessões).
  • Os sintomas de estresse foram reduzidos em 93,3% das sessões monitoradas (aumentados em 2,7% das sessões, e não houve alteração nos níveis de estresse relatados em 4% das sessões).

O estudo também comparou o impacto da cannabis nesses sintomas entre os sexos e descobriu que as mulheres perceberam uma redução maior nos sintomas de ansiedade do que os homens.

Maconha x ansiedade

Existem muitas controvérsias em relação à interação da maconha com a ansiedade.

Apesar de pesquisas mostrarem que o efeito geral da planta é positivo para sintomas associados à ansiedade, existem muitos casos em que a cannabis piorou o quadro de ansiedade, levando a crises, paranóia e até mesmo ataques de pânico.

Nesse contexto, alguns estudos se propuseram a investigar melhor essa relação.

No estudo mencionado acima, publicado no Journal of Affective Disorders, foi revelado que pequenas quantidades de maconha podem contribuir positivamente no combate à ansiedade.

Um outro estudo realizado pela University of New Mexico descobriu que a cannabis vaporizada (fumada) tem muito mais probabilidade de reduzir os sintomas de ansiedade do que de causá-los.

Como este estudo analisou o uso de cannabis em estados onde a cannabis é legal, os pesquisadores até levantam a hipótese de que a reputação passada da maconha de causar paranóia pode ter mais a ver com as preocupações dos indivíduos em serem pegos com uma substância ilegal do que com qualquer forte impacto químico da planta.

Resultados

Os pesquisadores descobriram que alguns sintomas relacionados ao sofrimento, seja ansiedade, estresse ou irritabilidade/agitação, diminuíram em 95,51% das sessões de uso de cannabis. Em contraste, esses sintomas negativos aumentaram apenas em 2,32% das sessões (sem alteração em 2,16% das sessões).

Os usuários de cannabis relataram alguns efeitos colaterais negativos relacionados à ansiedade e angústia (como sentir-se ansioso, irritável, paranóico ou inquieto), mas isso ocorreu em menos de 13% dos casos.

Efeitos colaterais positivos (como sentir-se relaxado, confortável, feliz, otimista, pacífico ou relaxado) foram muito mais comuns, ocorrendo em 66% das sessões.

A paranóia foi, na verdade, um dos dois efeitos colaterais menos prováveis ​​no estudo – ocorrendo em apenas 4% dos casos. Ter o efeito colateral positivo do relaxamento foi o efeito colateral mais comum relatado e ocorreu em 66% dos casos.

Os autores observaram que, embora a cannabis possa ter alguns efeitos negativos, “os efeitos colaterais relatados no estudo atual foram relativamente menos graves do que os problemas médicos e, às vezes, sociais mais sérios causados ​​​​por alguma prescrição convencional (por exemplo, benzodiazepínicos e barbitúricos) e sem prescrição (por exemplo, álcool), drogas mais usadas para tratar formas comuns de sofrimento”.

Curiosamente, a forte correlação com o aumento do alívio desses sintomas angustiantes foi o uso de cannabis com níveis mais altos de THC.

Para cada ponto percentual de aumento nos níveis de THC, os pesquisadores viram o alívio dos sintomas melhorar em 0,02 pontos.

Sessões mais longas com maconha também foram associadas ao aumento do alívio.

Embora tanto o CBD quanto o THC tenham mostrado potencial para aliviar a ansiedade, em outros estudos, níveis diferentes de CBD não pareceram afetar os níveis de ansiedade relatados aqui.

É claro que o estudo tem limitações. Como os pesquisadores analisaram dados de sessões não controladas de maconha em casa, eles confiaram nos participantes para relatar com precisão os fatores envolvidos em seu uso de cannabis, o que pode não ser tão preciso quanto se os próprios pesquisadores estivessem monitorando esses fatores. Também foi impossível criar qualquer tipo de procedimento duplo-cego, pois não havia grupo placebo.

Ainda assim, a relevância deste estudo se dá porque ele permitiu que os pesquisadores analisassem o uso de cannabis, como realmente ocorre, com produtos do mercado legal.

Os autores concluíram que a flor de maconha é um medicamento anti-ansiedade eficaz e de ação rápida, mas também acrescentaram que “pode produzir efeitos colaterais que podem exacerbar sintomas momentâneos de afeto negativo em uma minoria de sessões”.

Eles explicam que os resultados sugerem que a terapia com maconha, direcionada ao paciente, pode ser benéfica como um tratamento de ansiedade de nível médio, concluindo que “assim, apesar da sabedoria convencional de que fumar cannabis deixa uma pessoa paranóica, descobrimos que o consumo é muito mais provável de estar associado ao relaxamento e sentido de calma, com usuários mais propensos a relatar sentimentos de paz, otimismo e felicidade”.

No Who is Happy, você pode acompanhar seus dados de consumo de maconha, e entender quais cepas, quais momentos, quais lugares e quais métodos de consumo são preferíveis para você.

Basta baixar o app, fazer check in (no modo anônimo ou público) e acessar seus dados pessoais de consumo no seu perfil!

Aproveite e deixe aqui seu comentário sobre qual é o melhor efeito que a cannabis te proporciona!

Fontes: Forbes e Health Europa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.