A indústria de cannabis legal nos Estados Unidos criou mais de 100 mil novos empregos em 2021 e, agora, emprega mais de 428 mil trabalhadores.

jobs-cannabis-industry

De acordo com último relatório realizado pela Leafly em parceria com a Whitney Economics, a indústria da maconha legal criou uma média de 280 novos empregos por dia em 2021, nos Estados Unidos.

Isso representa um aumento de 33% ano a ano e marca o quinto ano consecutivo de crescimento anual de empregos superior a 27%.

(Gráfico: ”Crescimento de empregos na cannabis nos últimos 5 anos” | reprodução Leafly)

Os 428.059 empregos incluem empregos diretos de cannabis (aqueles que ”tocam na planta”), como cultivo e vendas no varejo, bem como empregos auxiliares indiretos que atendem a empresas licenciadas ou dependem de vendas legais de cannabis. Trabalhos auxiliares incluem trabalho em contabilidade, recursos humanos, assuntos jurídicos, conformidade regulatória, segurança, manutenção e construção. Também estão incluídos empregos indiretos em mídia de cannabis, plataformas de tecnologia, relações públicas, lobby, fornecedores de produtos não-cannabis e associações do setor.

A indústria que mais floresce

A cannabis ainda não é legal à nível federal nos EUA, mas o país é responsável pela maior parte dos lucros do mercado global de cannabis legal, alimentada pelo número crescente de estados que têm adotado novas políticas em relação à planta. 

Segundo o relatório, 11 estados já possuem o mercado de maconha para uso adulto regulamentado e 27 estados permitem apenas o consumo medicinal da planta.

Em 2021, o país lucrou US$ 24.6 bilhões em vendas legais de cannabis (para ambos os usos), o que equivale a mais da metade do lucro global, que chegou a US$ 37.4 bilhões, conforme dados da Prohibition Partners.

Apesar da indústria da cannabis nos EUA ter praticamente dobrado de tamanho, o crescimento econômico dos Estados Unidos foi o pior em 80 anos. 

Segundo o jornal The Washington Post, a resposta para essas contradições é: a crescente e lucrativa indústria da cannabis se tornou um lugar de refúgio para trabalhadores frustrados, pouco valorizados e que viram seus empregos desaparecerem com a pandemia. 

“Em um momento em que o resto da economia está lutando e as pessoas estão deixando seus empregos em massa, a indústria legal de cannabis está florescendo, mostrando um crescimento exponencial de empregos e atraindo indivíduos talentosos e motivados de toda a força de trabalho”, Morgan Fox, diretor político da NORML. disse.

Os empregos específicos de cannabis são mais abundantes na Califórnia (83.607), seguido por Colorado (38.337), Michigan (31.152) e Illinois (28.992). Vários estados adicionais, incluindo Connecticut, Nova Jersey e Nova York, devem começar a licenciar cultivadores, fabricantes e varejistas de maconha para uso adulto ainda este ano.

“Nos oito anos desde a abertura das primeiras lojas de cannabis para uso adulto do país, a indústria criou centenas de milhares de novos empregos. Há mais pessoas empregadas na indústria da cannabis do que cabeleireiros, barbeiros e cosmetologistas – combinados. E ainda há muito a ser criado”, concluíram os autores do relatório.

“Enquanto a cannabis legal agora suporta 428.059 empregos, o potencial total de emprego em um mercado maduro de cannabis legal nos EUA é de aproximadamente 1,5 milhão a 1,75 milhão de trabalhadores. O potencial econômico e de emprego para a cannabis legal permanece bastante favorável por muitos anos”.

Quer ficar por dentro do mercado da maconha nos Estados Unidos e outros países que já legalizaram a erva? Se inscreva no Ganja Talks University e tenha acesso a cursos sobre mercado canábico, empreendedorismo e mais!

Se prepare para a Revolução Verde, seja parte da maior universidade canábica do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.