Provavelmente você já ouviu falar em strains como OG Kush, Bubba Kush ou Lemon Kush. O que poucos sabem é que o nome ”Kush” deriva de uma cordilheira que recorta Paquistão e Afeganistão.

Origens

O nome ”Kush” vem de uma cordilheira chamada Hindu Kush, localizada no Afeganistão e Paquistão, países que têm uma longa tradição na produção de haxixe.

Essa cordilheira é uma terra de montanhas altas, rios e aldeias remotas. Nos vales entre os picos nevados, a cannabis e a preparação de haxixe têm sido um modo de vida há séculos e as cepas resistentes que ali evoluíram formaram a base do que hoje chamamos de “Kush”.

Nas décadas de 1960 e 1970, quando o Afeganistão ainda fazia parte da “Trilha Hippie”, inúmeros cannabistas e companheiros de viagem visitaram o país e apreciaram variedades das mais potentes de maconha (além da paisagem, claro).

Muitos viajantes trouxeram essas sementes da Ásia, mais especificamente de locais próximos à Hindu Kush, de volta com eles, plantando e ”hibridizando” as linhagens Kush que conhecemos hoje.

Assim, durante as décadas de 1960, 1970 e 1980, sua genética foi trabalhada e desenvolvida, dando origem a inúmeras strains famosas mundialmente, como AK-47 e White Widow.

Atualmente, a Califórnia é um dos lugares onde mais se cultivam as plantas Kush, além da cordilheira Hindu Kush.

As kush ainda são responsáveis por inúmeros títulos em Cannabis Cups, sendo uma bela escolha para quem aprecia a maconha em sua forma mais original.

Propriedades das strains Kush

Só porque uma variedade de maconha tem “Kush” no nome, isso não significa que a cepa vai ter exatamente os mesmos efeitos que as landraces Kush.

Exatamente pela hibridização que ocorreu ao longo dos anos, a strain que leva o nome ”Kush” pode ter propriedades de genéticas variadas.

No entanto, existem alguns atributos que as verdadeiras variedades Kush tendem a ter em comum.

Essas strains tendem a ser ricas em THC, enquanto o CBD não deve ter uma concentração tão alta, a menos que uma Kush específica tenha sido cruzada com uma genética rica em CBD.

A alta reprodução seletiva ao longo dos anos fez com que as linhagens puras de Kush se tornassem extremamente raras, portanto, é praticamente impossível determinar a quebra de canabinóides e terpenos do Kush original.

Por isso, os terpenos encontrados em Kush dependem da cepa específica em questão. Mas, com base nas cepas Kush mais populares, os terpenos mais comuns são Beta-Mirceno, Beta-Cariofileno, Limoneno e Humuleno, que costumam produzir efeitos relaxantes e uma mistura de sabores que variam de terroso a doce e picante.

Efeitos

Além de relaxamento, as variedades Kush são conhecidas por proporcionar uma experiência sedativa. Mas a alta pode ser muito eufórica e feliz.

O efeito tranquilo dessas strains as torna ótimas para ansiedade, estresse e insônia. São variedades perfeitas para relaxar no final do dia e são conhecidas por produzir a sensação de “couch-lock” ([email protected] no sofá).

Strains

As variedades Kush são tão populares que a palavra ”kush” se tornou uma espécie de sinônimo de maconha. Isso se deve à popularidade e quase onipresença de algumas variedades.

As mais famosas são: OG Kush, Bubba Kush e Hindu Kush (nome das montanhas que originaram as Kush strains).

Já provou alguma? Deixe sua avaliação no Guia do Who is Happy, uma base de informações sobre maconha feita por canabistas para canabistas!

Fonte: High Times e The Cannigma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.