Provavelmente você já viveu a frustração de querer enviar um emoji de maconha e ter que recorrer àquela folha de bordo (Maple Tree) ou à figura de brócolis ou até mesmo a umas plantinhas.

Nesses momentos surge a dúvida: com tantos emojis disponíveis, por que ainda não fizeram um da planta mais querida que existe?

(Imagem: reprodução The Guardian)

A criação dos emojis

Em 1987, os engenheiros da Apple e da Xerox começaram a pensar em como codificar caracteres para que a letra ou o símbolo em cada idioma coubesse em uma largura e espaço de armazenamento padronizados. 

Quatro anos depois, foi fundado o Consórcio Unicode, com representantes da maioria das principais empresas de tecnologia, a fim de uniformizar a linguagem em caracteres nos aparelhos.

(Imagem: Pixabay)

Hoje em dia, esse grupo inclui representantes de universidades e governantes, que supervisionam todas as adições ao alfabeto Unicode.

Em 2009, um grupo de engenheiros propôs a criação de emojis e o Consórcio Unicode adotou a ideia. Assim, esses caracteres especiais ficaram disponíveis em todas as plataformas operacionais de tecnologia, inclusive nos aparelhos Android e iOS. 

O uso dos ”caracteres em figuras” explodiu e abriu novas possibilidades de comunicação, à medida que os usuários criavam suas próprias combinações e atribuíam seus próprios significados simbólicos.

Novos emojis

Cabe ao Consórcio Unicode aprovar todos os caracteres que ficam disponíveis nos aparelhos. 

De tempos em tempos, o Consórcio cria novas ”figuras” ou renova as antigas. Porém, após 12 anos, ainda esperamos o emoji de maconha. 

A demora em ter um caractere especial que represente especificamente a maconha, pode ser explicada pelo fato de que a criação de um novo emoji tem que estar alinhada com as diretrizes do Consórcio e fazer sentido para o mesmo.

Por outro lado, qualquer pessoa ou organização – de fora do Consórcio – pode propor novos emojis mediante um árduo processo de solicitação.

Como solicitar a inclusão de um caractere especial

Uma proposta para adicionar um emoji de maconha tem que ser bastante detalhada e pode ser facilmente rejeitada, por não atender às diretrizes do Consórcio. 

No processo de solicitação, a importância do novo emoji deve ser descrita ponto a ponto. Além disso, uma proposta de arte para a ”figura” deve ser incluída, dentre outras exigências.

Para ser aceito, o Comitê Técnico Unicode (ou UTC, sigla para Unicode Technical Committee) tem que estar de acordo com um conjunto rigoroso de padrões, como ”É muito específico?”, ”Terá alta frequência de uso em grandes comunidades?”, ”Ele já pode ser representado por emojis existentes ou é distinto e inovador?”, ”É ofensivo?”… e por aí vai. 

“É dada preferência aos emojis que transmitem conceitos que não são simplesmente variantes de conceitos já transmitidos por outros emojis ou sequências de emojis existentes”, estabelece as diretrizes para o envio de propostas de novos emojis. “Por exemplo, seria melhor propor um emoji para um novo tipo de animal, em vez de um emoji para uma nova raça de cachorro.”

Depois de passar pelo processo de aprovação, que pode levar até dois anos, o novo emoji é finalmente lançado.

Para limitar o esforço de memória e usabilidade dos aparelhos, apenas setenta novos emojis são adicionados anualmente. 

A partir daí, cada grande fornecedor (como Apple e Google) cria sua própria versão da arte proposta, para se adequar ao seu estilo distinto. 

(Imagem: reprodução Microsoft)

Eles podem até escolher ocultar o significado original para se adequar aos padrões de sua comunidade, como quando a Apple, o Google e o Facebook substituíram o emoji que representava uma arma realista por uma pistola de esguicho verde.

Todos deveriam propor um emoji de maconha?

Apesar do processo de solicitação ser um tanto quanto complicado, nada impede de você mesmo solicitar a criação do caractere para maconha. 

Mas, alguns pedidos já foram rejeitados pelo Comitê, sob a justificativa de que a folha de cannabis já é representável por emojis existentes.

(Imagem: reprodução Change.org)

Há quem defenda que uma caractere especial para a maconha é mais que necessário, mas há quem diga que a graça das ”figuras” é poder criar interpretações distintas para um mesmo desenho. Ou usar desenhos diferentes para um mesmo significado. Por exemplo, maconha pode ser representada pela folha de bordo, ou por um brócolis, flores, ou até mesmo por uma árvore. 

Com essas alternativas já em uso, o UTC vê que não é uma prioridade criar um emoji exclusivo de maconha. 

Entretanto, à medida que a legalização ganha força ao redor do mundo e que o mercado legal em torno da planta cresce, é possível que o Comitê entenda a necessidade de criação de uma ”figura” característica para a maconha. 

(Imagem: reprodução Reddit)

O movimento em prol de novos emojis

Em 2016, a empreendedora Jennifer 8. Lee e o designer Yiying Lu criaram uma organização chamada Emojination, com o objetivo de ingressar na Unicode como membro associado oficial não votante (no mesmo nível do Twitter).

A dupla destacou que o pessoal do comitê que supervisiona os emojis é, em sua maioria, homens, principalmente americanos e engenheiros. Com isso, eles viram a necessidade de expandir o vocabulário de emoji do Comitê. 

O mais importante no processo de ingressar na Unicode foi aprender de perto sobre o processo de aprovação de novos emojis, o que permitiu a Lee criar uma proposta perfeita e completa para solicitar a criação de novos caracteres especiais. 

Ela comentou em entrevista ao BuzzFeed que “é uma loucura como essas propostas são trabalhosas”. Ela complementou que é difícil descrevê-las e, definitivamente, não é qualquer um que consegue fazer uma solicitação adequada para que o Comitê aprove. 

A Emojination foi responsável por propor novos emojis como uma mulher usando um hijab, o emoji de sauna e até mesmo o emoji de brócolis, usado para representar a maconha.

Até que uma solicitação tenha sucesso, você terá que usar sua imaginação para representar a erva.

Fonte: El Planteo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.