As strains de cannabis possuem concentrações distintas de THC, CBD e outros canabinoides. 

A potência da cannabis é, geralmente, medida pelo nível de THC da planta. Quanto maior a concentração de tetrahidrocanabinol, maiores são os efeitos psicoativos, portanto, maior sua potência.

Nos últimos anos, a potência da cannabis quadruplicou, e hoje é possível encontrar strains com mais de 30% de THC. É o caso da Chiquita Banana, que conta com uma concentração de tetrahidrocanabinol entre 30 e 33%. 

(Gráfico sobre o aumento da potência da cannabis, com base no THC, nos últimos anos | reprodução UNODC)

A strain é produzida pela Utopia Farms, localizada em Santa Cruz, Califórnia. A Chiquita Banana é repleta de cristais, conhecidos como tricomas, que concentram os canabinoides e terpenoides de cada planta. Seu cheiro é frutado e floral, com notas cítricas. 

Os produtores dessa strain afirmam que a flor pode ter até 33% de THC, mas o concentrado da Chiquita Banana pode chegar a quase 90% de THC.

Essa strain é Híbrida, com predominância de Indica. Foi criada na Costa Oeste dos Estados Unidos e sua ancestralidade genética é quase igual à O.G. Kush e Banana.

(Imagem: reprodução Cannabis Now)

Qualidade x potência

Nem todas as strains de cannabis que são extremamente potentes e com alta concentração de THC, como a Chiquita Banana, são consideradas as melhores. 

Não estamos dizendo que a Chiquita Banana é de má qualidade, pelo contrário: essa strain consegue unir qualidade e potência, principalmente pela maneira como é cultivada e pelos efeitos que ela proporciona.

O que queremos dizer é que existem outros fatores que determinam a qualidade da strain, como os flavonóides, terpenos, aroma, cheiro, sabor, e efeito equilibrado. 

Especialistas afirmam que é o conjunto desses fatores que proporciona uma experiência única e agradável para cada consumidor.

E também temos que levar em conta que as strains vão agir de maneira distinta para cada pessoa, portanto, no fim das contas, quem determina se uma strain é boa ou não, é o consumidor.

Há quem prefira strains com aromas mais cítricos, outros preferem sabor mais doce. Há quem sinta efeitos desagradáveis com uma potência muito alta, há quem considere que uma strain com um equilíbrio de canabinoides é a melhor. 

Mas não podemos deixar de dar os créditos à campeã mundial de potência, a Chiquita Banana.

Cultivo ecológico

Mais uma coisa se destaca na Chiquita Banana: seu modo de cultivo, respeitando o meio-ambiente.

A Fazenda Utopia recicla a água utilizada nas instalações, conseguindo recuperar entre 50 a 70%. 

Em entrevista para o Cannabis Now, os fundadores da fazenda afirmam que querem recuperar 100% da água utilizada. O compromisso ecológico dos produtores da Chiquita Banana vai além: a fazendo é neutra em carbono e eles participam em projetos de reflorestamento. 

Esses fatores também têm um papel importante ao considerarmos a qualidade da planta. Afinal, respeitar o ecossistema é uma qualidade e tanto. 

Cultivos ecológicos têm ganhado cada vez mais espaço, e o pessoal da Dragonfly Earth Medicine também se destaca no cultivo da cannabis de maneira orgânica.

O Josh e a Kelly só usam a natureza para cultivar a natureza. Há mais de 20 anos eles vêm estudando o cultivo de cannabis orgânica. Se você quiser entender melhor sobre como funciona, eles ensinam no curso ‘‘Cultivo Orgânico” do Ganja Talks University

Com as técnicas adequadas de cultivo, você poderá produzir strains de alta qualidade e até mesmo de alta potência. Quem sabe com uma concentração de THC maior que a Chiquita Banana?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.