A cannabis aguça todos nossos sentidos, inclusive a audição. Escutar um som durante e após a session, deixa a brisa ainda melhor!

E a cannabis tem um papel importante no processo de criação de vários artistas, bem como está presente em várias letras. 

Preparamos uma lista com 7 bandas e artistas nacionais, de diferentes estilos musicais, para você conhecer e deixar sua vibe ainda melhor. Se você já conhece, vale a pena ouvir mais um pouco, se ainda não conhece, dá o play e inove sua playlist. 

1. Puro Suco

A banda Puro Suco tem se destacado no cenário da música com suas rimas cheias de conteúdo feroz e métrica acelerada.

Formado por Murica, Prs e Ronchi, o grupo aposta no que chamam de rap tropicalista, uma mistura do gênero rap com ritmos tradicionais brasileiros, como o samba e o maracatu. 

Seu último álbum, Rataria Popular Brasileira, mostra que o Puro Suco traz uma nova tendência para a música brasileira: um retorno às velhas origens.

A última música lançada pela banda fala sobre Brasil, critica o governo e faz menção à cannabis: ”um reggae original é brown, erva, fim do caminho / um louco sozinho, um “rapin” nacional / temos praia, SUS, Aleijadinho / um país do caralho na mão de um boçal”

Aperte o play:

2. Banda Bloco [C] + rapper uruguaio Diego Grinberg

A mistura de rock com samba e ritmos cariocas da banda Bloco [C] se une aos versos do rapper uruguaio Diego Grinberg e convida a refletir em “Verde e Amarelo”, seu novo single. A faixa soma versos incisivos com bom humor para debater a legalização e a descriminalização do uso de drogas.

“Discutir o tema da reformulação e/ou legalização sobre a lei de uso e porte de drogas, e, em especial da maconha, é um tema bastante polêmico em nossa sociedade. Em diversos lugares do mundo, já é legal inclusive o uso recreativo, com bons resultados obtidos como consequência em diversos aspectos, desde resultados e impactos econômicos e chegando às ideias sobre redução de danos e uso mais consciente”, comenta a banda.

Confira ”Verde e Amarelo”:

3. SD9

SD9 é um MC carioca que vem ganhando notoriedade no gênero ”Grime” no Brasil. Com beats metálicos, BPM acelerado e rimas frenéticas, o Grime surgiu em Londres, mas, aqui, ganhou elementos fundamentais da cultura brasileira e vem conquistando o próprio espaço no país.

Em entrevista para Rolling Stone, SD9 afirma ”Grime não é para quem quer ser, é para quem é”.

Ano passado (2020), o MC lançou seu primeiro álbum ”40˚.40”, destacando seu trabalho com muito flow elástico e rimas que evidenciam os diferentes aspectos das ruas cariocas, em cenas ambíguas entre a festa e o crime, a diversão e a violência.

Confira o videoclipe da faixa que dá nome ao álbum:

4. N.I.N.A

A MC, também carioca, vem representando a presença feminina no Grime brasileiro. N.I.N.A. mostra seu potencial como MC em suas criações e busca quebrar barreiras que ainda existem até mesmo no meio musical. Em entrevista, ela comenta ”como MC eu vejo gente fingindo que eu não existo ou que meu trampo não vale de nada e eu nem sei porquê… A real é que eu sempre disse que pra fazer os bagulho sendo mulher tu tem que ser duas vezes mais braba… Agora pra fazer o bagulho sendo mulher, preta, favelada e talentosa tu tem que ser 1000 anos à frente em questão de confiança. […] O machismo se mostra de várias formas tá ligado? Desde a exclusão da mulher em ambientes até comentários ácidos (que ninguém pede) sobre trabalhos de mulheres”.

Suas músicas buscam trazer bastante da sua personalidade, conheça o trabalho de N.I.N.A.:

5. Maloka Nunes

Cantora e compositora natural da cidade de são Paulo, Maloka Nunes iniciou a carreira em Santa Catarina onde reside atualmente. Lançou seu primeiro álbum, Ruas Grafitadas, de maneira independente e tem conquistado a cena musical com sua atitude e som autoral. 

Confira sua nova música:

Seu último álbum, Ruas Grafitadas, também está disponível no YouTube:

6. Bloco do Caos

A banda surgiu em 2013 na cidade de São Paulo. Com um som bem diversificado e cheio de mensagens fortes, o Bloco do Caos identifica seu som como ”reggae, rock, brasileiro”. Já desenvolveu parcerias e trabalhos com grandes artistas e bandas nacionais e dividiram o palco com O Rappa, Gabriel O Pensador, Marcelo D2 e Maneva.

Recentemente, lançaram uma música com o Planta e Raiz. Conheça o som:

Esse ano o grupo ainda vai lançar um álbum, chamado “Minha Tribo”.

7. Ashira

Ashira é produtora musical, beatmaker, diretora de arte e cantora.

Vem se destacando na cena por sua pluralidade musical e capacidade criativa. Teve participação no álbum “Castelos e Ruínas” do rapper BK, produziu um EP independente, junto com as gêmeas Tasha e Tracie Okereke (”EP ROUFF”) e desenvolveu o projeto experimental “A única”, no qual lançou três singles.

Um dos seus últimos trabalhos foi a música ”Eu gosto”, que fala sobre empoderamento:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.