A sétima arte tem muito a ensinar quando o assunto é cannabis. E quando se fala em cinema brasileiro, fica ainda mais fácil entender as representações histórico culturais, estigmas e abordagens da maconha no Brasil. 

E como hoje é o Dia do Cinema Nacional, prepare a pipoca, pois nossa homenagem vem recheada de dicas de filmes canábicos. Para aproveitar o final de semana, celebrar a erva e claro, o cinema e as produções nacionais, nesse momento tão delicado que exige consciência e isolamento 

A Casa da Mãe Joana

Na contramão da atual política de drogas brasileira, essa película de comédia com o ator José Wilker, junto de um grupo de amigos vagabundos por ideologia e farristas por natureza, retrata a aventura dos colegas de apartamento, ao decidirem aplicar um golpe em uma joalheria. Bem-sucedidos com a façanha, um dos “criminosos” foge com o dinheiro e a esposa do joalheiro. Perseguidos e sem dinheiro, a missão é sobreviver! 

Raul Seixas – O Início, o Fim e o Meio

A tendência musical exerce grande influência em títulos de filmes. 

Ao retratar a trajetória da lenda do rock nacional Raul Seixas, através de imagens de arquivos pessoais, encontros com familiares, conversas com artistas, produtores e amigos, “Raul, O Início, O Fim e o Meio” aborda a trajetória do cantor e compositor “Maluco Beleza”.

Autor de uma obra que para muitos é considerada “de louco”, contrasta com as opiniões que avaliam o músico, como gênio de outra galáxia. E cá entre nós, assim como Raul, a cannabis também divide opiniões, além de ter sido explorada em diversas partes do filme. 

Faroeste Caboclo 

O filme traz diversos traços e características da música, e conta a história de João de Santo Cristo, que ao se envolver na guerra às drogas, promove o enredo poético e vintage da produção, ao retratar situações comuns da vida de brasileiros que se arriscam em busca de melhores oportunidades. 

Ao tentar deixar o passado repleto de tragédias para trás, em sua trajetória conta com o apoio do primo e traficante Pablo, com quem passa a trabalhar. Já conhecido como João de Santo Cristo, o jovem se envolve com o tráfico de drogas, ao mesmo tempo em que mantém um emprego como carpinteiro. Em meio a tudo isso, conhece a bela e inquieta Maria Lúcia, filha de um senador. Ao se apaixonarem loucamente, começam uma relação marcada por desafios, e uma guerra com o playboy e traficante Jeremias, que coloca tudo a perder.

Onde a coruja dorme 

Ainda na tendência musical, o filme do saudoso ícone do samba brasileiro, Bezerra da Silva  (1927-2005), expressa de maneira explanada e bem-humorada, a trajetória do maior malandro dos sambistas, seu amor pela maconha e algumas drogas, e os dilemas da fama nos anos 80.

Lançado em 2012, o documentário “Onde a coruja dorme” resgata a história de um dos músicos mais irreverentes e maconheiros do Brasil e é repleto de causos, músicas deliciosas e belíssima fotografia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.