Após um mês de análise, a Anvisa liberou a produção do Canabidiol Farmanguinhos. Este, pode ser a solução para quem depende do SUS e necessita da medicação.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta sexta-feira (14), a  Autorização Sanitária para produzir o preparado denominado Canabidiol Farmanguinhos 200 mg/mL.  Fabricado pela empresa Prati, Donaduzzi e Cia Ltda, e distribuído no país pela Fiocruz, o produto à base de cannabis é uma possível aposta para pacientes que utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS).

A FARMACÊUTICA 

A empresa já havia obtido uma autorização para a fabricação do óleo de CBD de 200 mg/ml, que foi o primeiro produto a ser autorizado no Brasil, de acordo com a resolução 327. Com custo de R$2.300,00, já está disponível em farmácias do Brasil. 

Em 2020 houve o pedido de incorporação no Sistema Único de Saúde (SUS), e até consulta pública sobre a inclusão da substância. 

A boa notícia é que o pedido pode vir a ser atendido, já que o laboratório de Farmanguinhos é um laboratório público, e por isso, os produtos não podem ser comercializados, e sim fornecidos ao Ministério da Saúde. 

CANABIDIOL FARMANGUINHOS

O pedido foi feito pela Fiocruz em março deste ano, e segundo a Anvisa, a análise levou 35 dias até ser deferida.  De administração oral, o medicamento é composto por 200 mg/ml de CBD, um dos princípios ativos da Cannabis sativa e de até 0,2% de THC (tetra-hidrocanabinol). 

Segundo a legislação, o canabidiol só pode ser prescrito por receitas médicas tipo B, e só é indicado em casos de esgotamento de outros tratamentos. 

As pesquisas científicas ainda não desenvolveram métodos para aferir as evidências e informações suficientes para que tais produtos sejam considerados medicamentos. Por este motivo, essas substâncias são produtos, e não medicamentos, já que é necessário que haja estudos clínicos que comprovem a eficácia das substâncias.

Na avaliação do advogado da Comissão de Assuntos Regulatórios da Ordem dos Advogados do Brasil, Rodrigo Mesquita, em entrevista para a Agência Brasil, o deferimento envolve a pesquisa de um canabidiol com insumo importado pela Fiocruz. A regra existe desde 2019 e apenas agora houve uma aprovação desta, informou.

Segundo Rodrigo, “A impossibilidade de se cultivar no país é um entrave central à própria realização de pesquisas com produtos derivados de cannabis. Enquanto não houver regulação que permita o cultivo não vai ser possível explorar a potencialidade que as instituições de pesquisa brasileiras têm nessa área”. 

1 COMENTÁRIO

  1. Óleo de CBD fabricado no Brasil com certeza sairá ais barato, o que é realmente um alívio pra quem depende do medicamento.
    Felizmente estamos avançando neste assunto, apesar de que ainda em passos muito lentos, mas avançando.
    Obrigada por compartilhar este excelente artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.