Já faz tempo que inúmeros estudos têm indicado um enorme potencial terapêutico da maconha na parte analgésica, em problemas de pele e no tratamento de alguns transtornos neuropsiquiátricos como ansiedade, Parkinson e psicoses.

Com base em outras pesquisas com resultados promissores, nós do Ganja Talks listamos outros possíveis efeitos terapêuticos dos canabinoides, mas que ainda necessitam de comprovação clínica. Confira:

Acne – o CBD é antioxidante e tem potencial para ajudar a reparar danos à pele;

TDA (Transtorno do Déficit de Atenção) e TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade) – canabinoides teriam potencial para estimular a produção de dopamina e, com isso, substituir a Ritalina e similares em tratamentos;

Alcoolismo e outros vícios – o canabinoide cariofileno e seu derivado, o óxido de cariofileno, combatem alguns efeitos provocados pelo álcool. Testes em ratos mostraram que doses pequenas dessa substância faziam eles consumir muito menos álcool;

Esclerose lateral amiotrófica – CBD e THC teriam efeito antioxidante e ajudariam a evitar a morte de células nervosas associadas à doença;

Alzheimer – CBD pode evitar a criação de proteínas malformadas associadas à doença. Canabinoides também são associados à proteção de células nervosas;

Anorexia – usar canabinoides para estimular os receptores do sistema endocanabinoide pode ajudar a regular o metabolismo;

Doenças resistentes a tratamento com antibiótico – THC e CBD teriam capacidade antibiótica e poderiam ser usados nesses casos;

Ansiedade e condições correlatas – CBD poderia ser usado como ansiolítico;

Artrite – CBD poderia ser usado como anti-inflamatório; Asma – CBD poderia ser usado como anti-inflamatório;

Arterosclerose – neurotransmissores ativados pelo THC inibem a incidência de arterosclerose;

Autismo – CBD e THC poderiam atuar no controle de problemas decorrentes de autismo, como convulsões e agressividade;

Doenças autoimunes – canabinoides poderiam ser usados para modular o sistema imunológico e tratar doenças do tipo;

Transtorno bipolar – canabinoides, em determinadas doses, podem ajudar no tratamento de problemas como transtorno bipolar por sua atividade como neurofármaco;

Câncer – o CBD pode inibir a angiogênese (formação de novos vasos sanguíneos), o que está ligado a doenças como o câncer;

Colite e doença de Crohn – CBD pode diminuir inflamações intestinais ao atuar junto ao sistema imunológico do paciente;

Depressão – CBD teria efeito antidepressivo e ansiolítico;

Diabetes – os efeitos metabólicos dos canabinoides reduziram os níveis de insulina e índice de HOMA em humanos;

Problemas endócrinos – estudos relacionam o sistema endocanabinoide ao controle das funções corporais feito pelo sistema endócrino;

Epilepsia e convulsões – derivado de CBD suprime gene relacionado à epilepsia. CBD também demonstrou efeitos anti-convulsivos;

Fibromialgia – o uso de CBD se mostrou eficaz para o tratamento da dor em pacientes com fibromialgia;

Glaucoma – THC e CBD têm potencial para diminuir a pressão ocular;

Problemas cardíacos – canabinóides estão associados ao controle de arritmia, isquemia e cardiomiopatias;

Aids – uso de THC pode ajudar a diminuir danos ao sistema imunológico e evitar que o quadro dos pacientes se agrave;

Doença de Huntington – CBG (cannabigerol) demonstrou propriedades neuroprotetoras e CBD tem potencial para tratamento dessa doença;

Doenças crônicas nos rins – canabinoides demonstram efeito anti-isquêmico e podem ajudar a evitar o bloqueio de vasos sanguíneos nos rins;

Enxaqueca – doses combinadas de CBD e THC ajudaram a diminuir as dores decorrentes de enxaquecas;

Esclerose múltipla – CBD mostra potencial para oferecer uma proteção mais duradoura contra efeitos nocivos da doença;

Parkinson – testes mostraram eficácia do THC e do CBD para evitar a degradação dos neurônios;

Osteoporose – um receptor de canabinoides chamado CB2 atua como sistema regulatório de massa óssea. Se estimulado corretamente, pode ajudar a controlar a doença;

Reumatismo – o uso de canabinoides é promissor, uma vez que o sistema endocanabinoide também atua regulando inflamações e adaptando respostas imunológicas;

Esquizofrenia – CBD demonstra efeitos antipsicóticos;

Insônia – CBD tem potencial para tratamento de insônia e como modulador do sono;

AVC – canabinoides estão associados ao controle da isquemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.