Já se imaginou viajando o mundo explorando os sabores e sensações da cannabis ao redor do mundo?

Conforme a luta em prol da legitimação do uso da cannabis avança, oportunidades vêm a surgir e em setembro de 2018 a empresa canadense AHLOT publicou um anúncio atrás de provadores de maconha para selecionar e comercializar produtos de cada vez maior qualidade – claro como consequência de novas leis que permitem o consumo no país para fins recreativos.

Dentre os quase 25 mil participantes que vieram de todos os cantos do mundo, 8 foram classificados finalistas e passaram a fazer parte da equipe da empresa.

Um dos finalistas, José Domingues afirma receber 50 USD por hora de análise, que passa pelos sentidos da visão, olfato e paladar da planta – a fim de preencher aspectos como aroma, sabor, efeito e apresentação.

Quando perguntado sobre preferência, José afirma que gosta das mais variadas strains e compara ao vinho: “existe uma genética apropriada para cada momento”.

Leia o texto na integra no El País

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.