Pela primeira vez na história, um mercado multi-bilionário pode não ser dominado totalmente por homens. De acordo com pesquisas recentes realizadas pela Marijuana Business Daily, as mulheres representam 36% do total de grandes executivos da indústria da cannabis, número que pode crescer ainda mais devido ao mercado relativamente novo e ainda em franca expansão.

De acordo com a contadora pública, Crystal Huish “não é frequente ver uma indústria desse porte nascendo, portanto, é uma oportunidade para quebrar barreiras e antigas tradições”. Apesar do número ainda não ser de fato, equânime entre homens e mulheres, as outras indústrias de mesmo porte que a cannabis contam somente com 22% de mulheres em altos cargos executivos.

Uma das organizações mais importantes para as empreendedoras da cannabis é a Women Grow. Fundada em 2014, a companhia funciona com uma rede de conexões entre várias empresárias e promove eventos mensais em cada uma de suas filiais, espalhadas por mais de 30 localidades nos EUA.

A Women Grow é fundamental para o posicionamento das mulheres frente ao mercado, possibilitando acesso à informação de qualidade, bem como proporcionando recursos para as mulheres que desejam empreender na indústria da cannabis ou até aliar suas funções de alguma maneira com o mundo da maconha.

Além de investirem na formação e conhecimento para os negócios, as mulheres são responsáveis por uma boa parte do ativismo canábico. Nomes como Ariel Clark, advogada e fundadora da Los Angeles Cannabis Task Force, Lynne Lyman, diretora estadual da California da Drug Policy Alliance e Jodie Emery, uma das mais influentes no cenário canadense pró-legalização são alguns dos exemplos do trabalho fantástico que vem sendo desenvolvido por essas pessoas e o grau de importância das atividades que exercem são fundamentais para o avanço da legalização.

Ainda existe um longo caminho a ser percorrido para que a sociedade seja de fato, igualitária, porém, novas indústrias como a da cannabis podem servir de exemplo tanto na luta contra a proibição quanto na quebra de tabus.

Fontes: http://www.elle.com/culture/career-politics/a36925/diversity-in-cannabis-industry/
http://www.theatlantic.com/business/archive/2016/06/women-turn-to-the-marijuana-industry-to-escape-stubborn-glass-ceilings/489008/
https://www.leafly.com/news/industry/9-influential-women-who-are-shaping-the-cannabis-industry
https://www.merryjane.com/news/5-women-rocking-the-cannabis-industry/adeila-carillo

Imagens: Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.