Na semana passada mais um importante avanço na medicina canábica foi dado depois que a empresa britânica de biotecnologia GW Pharmaceuticals completou mais uma fase de testes de uma nova droga contra a epilepsia.

O Epidiolex já está no segundo estágio do programa de testes. Os pacientes que participam dos estudos são crianças portadoras de Síndrome de Dravet e todas elas já haviam testado pelo menos 10 diferentes tipos de drogas para tratamento, mas ainda apresentavam alto número de convulsões.

O CEO da GW Pharma, Justin Gover, disse em entrevista ao canal CNBC que os resultados obtidos com o Epidiolex foram extremamente positivos e até pioneiros no tratamento da Síndrome de Lennox-Gastaut, uma condição rara e difícil de tratar.

O medicamento é produzido à base de cannabis e a GW Pharma conta com sua própria plantação de maconha, autorizada para pesquisa. O Epidiolex é inovador pois consegue tratar além da Síndrome de Lennox-Gastaut, a Síndrome de Dravet, outra forma rara de epilepsia e que não tem nenhuma forma de tratamento aprovada pelo FDA, órgão responsável pela vigilância sanitária dos EUA.

Para 2017, a empresa pretende entrar com um pedido de autorização junto ao FDA para tratamento das duas condições com o mesmo medicamento, algo incomum, segundo Gover.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.